sábado, 7 de maio de 2011

Fonte Imperial.

Em 1803, o Dr. Marcos Cristino Fioravante, Italiano, cirurgião aprovado, veio residir em Stº Antônio, e na rua Direita fez construir sua casa(1ª casa acima da Câmara hoje.) e nos fundos desta erigiu um chafariz. Reza a lenda que D. Pedro I, ao pernoitar na casa do Presidente da Câmara,(Hoje Museu Caldas Júnior) o Alferes Antônio Xavier da Luz ofereceu ao Imperador e sua comitiva a água do manancial e que o mesmo autorizara a construção e embelezamento do local.
Em 20 de abril de 1846, a Câmara nomeia uma comissão e oficializa ao Presidente da Província uma verba para a compostura(construção) do monumento, o que acontece em 1847. O mestre da obra foi Antônio Ribeiro Diniz, e seu primeiro zelador, João Silvério Primo, o João Quiroró.
Até meados dos anos de 1920, os caminhos de acesso à Fonte eram arborizados e calçadas com pedras irregulares, com pilares aos lados e escadas de ponto em ponto para disfarçar a descida e duas enormes figueiras projetavam sombra aos pilares.
Em 1940 a Secretaria da Educação mandou instalar uma bomba para enviar água até o Grupo Escolar Gregória de Mendonça, assim encobrindo a parte da saída d'água com uma caixa de cimento  ficando até meados dos anos de 1980, quando se efetuou uma restauração, feita pelo meu pai o sr. Oscar Fernandes, que devolveu a fachada original à Fonte, descobrindo o rosto de onde jorra água, os dizeres, e, inclusive sua cor original, fazendo também um duvidoso apoio de concreto na parte de atrás, mas que seria sua salvação, já que em 2005 uma enorme árvore caiu sobre o monumento que foi parcialmente destruído. Poderia ter sido pior. Novamente restaurado desta vez por especialistas.
No início dos anos de 1970, sem que se saiba o motivo, foram retirados os calçamentos de pedra sabão regular, da rua Pinheiro Machado e Cel. José Nunes pelos de pedra ferro irregular. restando hoje somente das ruas XV de Novembro e Sete de Setembro com esse tipo de calçamento.
 Modelo impar de Monumento é Símbolo do Município e Tombado pelo Patrimônio Estadual e Municipal e já foi muitas vezes palco de apresentações culturais e até casamentos e deve ser visitado e preservado por todos.    (Fonte-José Maciel Júnior-Reminiscências de Minha Terra-EST 1987).
Década de 1960, nota-se a caixa encobrindo o rosto e a casa da bomba.
1973 Jornal O Comercial(Arquivo ASFUSAP)
2010.
2011. Recebendo melhorias nos passeios.
Chave encontrada nos anos de 1980.
Pequena gruta existente atrás do Monumento.
"Neptuno Rei dos Mares"

2010.

4 comentários:

  1. Parabens pelo material!! Informações muito importantes que 99% dos Patrulhenses desconhecem.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ae pelas matérias sobre a Fonte Imperial,importante ter contato com mais pessoas assim como eu gostam da história de nossa cidade.

    ResponderExcluir
  3. Robradom e Carlos Eduardo de Oliveira, peço que enviem pedido para fazerem parte do Grupo Fotos antigas de Stº Antº da Patrulha no facebook. Tenho certeza que irão gostar..

    ResponderExcluir
  4. o nome correto é marcos crhistino fioravanti, o qual sou descendente do mesmo.

    ResponderExcluir